Mostrando arquivos destcados com " crônicas"
fev
19
2016

Tá tudo caro, rapaz!

O que será de nós pobres e oprimidos? Fui à feira livre hoje e quase dei uma pane mental. Tudo, absolutamente tudo dobrou de preço. Quanto é o alface? Quanto?! Dois reais! Meu Deus do Céu. Você só pode está de brincadeira. E o mamão? Quanto? Quatro reais o quilo? Mas na semana passada não […]

jan
1
2016

Mensagem para o Novo Ano que se inicia

Um ano novo se inicia sobre as cinzas de uma temporada que deixa a cena para se prostrar nos livros de história. 2015 findou agora há pouco, abriu passagem para 2016. Recepcionamos esse grande momento com festas, músicas, comidas, lindos espetáculos pirotécnico e brindes com taças de champanhe. O sorriso de esperança bailou pelos quatro […]

nov
24
2015

Meio Ambiente à deriva

O homem na sua ganância incomensurável destrói o meio ambiente de forma devassadora. Somos um bando assustador de gafanhotos esfomeados por luxúria e poder. Precisamos dia após dia consolidar nossa fortuna, nosso status, nossa poupança. Somos tão cegos que não conseguimos enxergar os malefícios dos nossos impensados atos. A mídia exalta as empresas que obtém […]

nov
23
2015

Apostando na loteria

Hoje cedo, meu amigo Chico veio a minha humilde residência. Chegou sem fôlego, ofegante, aflito, todo agitado. Levei um susto. Pensei em alguma notícia ruim. O amigo foi logo me indagando se eu já tinha feito uma fezinha. Fezinha? O homem parecia está louco da cuca. Que fezinha? O compadre então me refrescou a memória. […]

nov
21
2015

A graça do título acabou

O mundo dá voltas, voltas sobre voltas, mas não volta. Como era divertido e prazeroso para os torcedores dos times campeões nas décadas passadas. Foguetes, farras, carreatas, carnavais… Com os anos, com o surgimento de novos atrativos modernos, a graça que se tinha pelas conquistas nos campos de futebol, literalmente, acabou. Antes quando o time […]

nov
11
2015

Um Brasil sem rumo

Abro a janela desta humilde casa em minha pequena propriedade no Sertão nordestino. O dia acorda quente, o Sol domina todos os espaços, faltam nuvens no céu, sobra anil. Fico a observar a vegetação ressequida pela longa estiagem. Meu rebanho se resume a cinco cabritos, o gado morreu todo. Tem também alguns frangos, um sevado […]

out
30
2015

A chuva voltou ao Sertão

Após vários meses de estiagem dura e pesada, enfim a chuva voltou a fertilizar o solo seco do Sertão. Nos últimos dias, os sinais da natureza davam conta que a agonia de um longo período partiria em retirada deixando a esperança para os seres viventes na Caatinga. A jurema-preta floriu por completo, uma verdadeira noiva; […]

out
18
2015

A Crise bateu em minha porta

– Ô, de casa! Ô, de casa! – alguém grita na porta de entrada da residência de José. – Quem será a esta hora? – indaga José. – Não posso nem mais assistir meu jornal tranquilo que vem gente me aperrear. Quem é? – Sou eu. – Eu quem, diabo? – Eu. Deixe de frescura […]

Páginas:«1234567»